Todo crente é um cidadão do reino de Deus e como tal representa o seu Rei, o Senhor Jesus Cristo, aqui na terra. “De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio” (2 Coríntios 5.20). Portanto, devemos proceder nos nossos relacionamentos pessoais – no trabalho, na escola, em nossa comunidade, etc – sem perdermos de vista quem somos e a quem pertencemos. Baseados no nosso relacionamento com Cristo e através Dele, podemos evitar ou resolver muitos problemas nos nossos relacionamentos sociais.
Um dos grandes pecados que cometemos no nosso relacionamento com os outros é o da cobiça ou avareza, ou seja: desejar aquilo que é do outro. Desejamos o poder, a riqueza, a posição, os amigos, o conhecimento, o talento, etc que a outra pessoa tem. Queremos o que há de melhor de todas as coisas para nós mesmos, mesmo que às custas dos outros. Como embaixadores de Cristo devemos ter sempre em mente o décimo Mandamento que traz uma séria advertência contra essa atitude:
“Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença a teu próximo” (Êxodo 20.19).
Devemos levar esse ensinamento de Deus a prevalecer no nosso relacionamento com outras pessoas. Você é o tipo de pessoa que está sempre se comparando às outras pessoas e as suas realizações? Essa postura pode ser prejudicial se o fizer ficar constantemente insatisfeito e em conflito. Será que você deve tentar se manter no mesmo nível de alguém a quem admira? Não necessariamente. Devemos estar cientes de nossas limitações e nos aceitarmos como somos. Devemos, também, conhecer bem nossos pontos fortes e desenvolvê-los ao máximo, mas sem tentar fazer o “impossível” para consegui-lo!
Podemos apreciar um bom músico profissional, sem ter que ser igual a ele, ou ainda, ficar com raiva de quem o é. Posso admirar a casa nova, o carro, a moto, etc. do meu vizinho e me alegrar com ele, sem ter de possuir os mesmos bens. A Bíblia nos ensina: “Alegrai-vos com os que se alegram, e chorai com os que choram” (Romanos 12.15). Chorar com alguém não é difícil. Entretanto alegrar-se é – especialmente quando se sente inveja ou cobiça.
O pecado da cobiça pode levá-lo a cometer outros pecados, que também causam problemas; mentir ou roubar para conseguir o que você quer, ira, inveja, ressentimentos, ódio, vingança, etc. Daí a importância de Deus ter incluído a advertência contra a cobiça nos Dez Mandamentos. A única solução possível para problemas relacionados à cobiça é amar o próximo como a si mesmo. E a passagem bíblica que a sustenta é 1 Coríntios 13: (O amor é paciente, benigno, regozija-se com a verdade, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta, não se ufana, não se ensoberbece, não procura os seus interesses, não se exaspera, não arde em ciúmes, não se vangloria, não se ressente do mal, não se alegra com a injustiça, jamais acaba).
Viva Jesus!
Deus lhe abençoe!
publicado por homota às 17:24