Palavras de Salvação.

pesquisar

 
Terça-feira, 29 / 04 / 08

A Origem de Nossos Problemas.


Pouco antes de Sua morte na cruz, Jesus falou aos Seus discípulos a respeito do que iria acontecer a eles quando Ele retornasse aos céus. Uma das coisas que disse foi: “ ... No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo; Eu venci o mundo” (João 16.33). Após ter dito essas palavras, Jesus orou: “ ... Pai Santo guarda-os em Teu nome ... Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal” (João 17.11,15).
Enquanto permanecermos no mundo enfrentaremos problemas. A Bíblia nos conta que Adão e Eva foram criados como seres humanos perfeitos em um mundo perfeito. (Gênesis 2). Desfrutavam de perfeita comunhão com Deus e não tinham nenhum tipo de problema. Entretanto, Deus deu a eles o poder de escolherem obedecê-Lo e servi-Lo.
Porém, havia no mundo uma influência maligna, satanás, a quem Jesus chamou de mal (João 17.15). Ele estava no Éden sob a forma de uma serpente. A Bíblia não nos fala como ele entrou no jardim, mas nos conta em Gênesis 3 como a serpente (satanás) usou sua influência maligna para persuadir Adão e Eva a desobedecerem a Deus. Por causa da sua desobediência, Deus amaldiçoou a terra, e por causa do pecado, toda a terra e toda a humanidade foram prejudicadas. Daí surgiram a dor, o sofrimento, as lutas, os infortúnios e a necessidade de o homem trabalhar arduamente. Nos versículos 16-19 do Capítulo 3 do livro de Gênesis encontramos um registro da maldição que foi lançada sobre a terra por causa do pecado. É por causa dessa maldição que envelhecemos e morremos. Infortúnios como a fome, as inundações, os terremotos surgiram por causa do pecado, pecado esse que tornou a terra imperfeita. Por causa dele, precisamos lutar contra o vento e a tempestade, as doenças e as pragas, para obtermos alimento para o nosso sustento. É por causa do pecado que muitas crianças nascem com deficiências físicas, lesões cerebrais e outras doenças.
Quando pecamos, é uma escolha pessoal e somos individualmente responsáveis pelo nosso pecado. Em Romanos 5.12 lemos as seguinte palavras: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”.
Esses versículos nos mostram que cada um de nós já nasce com a capacidade de pecar e que somos responsáveis pelas nossas próprias escolhas de fazer o bem ou o mal. Muitos de nossos problemas são conseqüências de atos pecaminosos que cometemos, de palavras que falamos sem pensar ou de atitudes pecaminosas como a cobiça, a inveja, ou as prioridades erradas. A Bíblia nos conta a história de um homem que esteve doente um bom tempo e que foi curado por Jesus. Mais tarde, quando Jesus o encontrou, deu-lhe o seguinte conselho: “Olha, que já estás curado: não peques mais, para que não te suceda coisa pior” (João 5.14). Aparentemente, a doença daquele homem fora o seu pecado.
Pessoas que marcam e agridem os seus corpos – ou pelo uso de drogas ou de cigarro, seja por comerem ou beberem demais, ou ainda por usá-lo imoralmente ou para qualquer outro ato de depravação – também estão sujeitas a severos problemas físicos decorrentes de suas ações. Quando pecamos por desobediência a Deus e à Sua palavra, podemos atrair certos problemas para nós mesmos, como por exemplo: lares desfeitos, relacionamentos destruídos, tristeza, sofrimento, enfermidades e até mesmo a morte. Romanos 6.23 lembra-nos que “ o salário do pecado é a morte”. Não se trata apenas da morte física, mas também da morte espiritual, que é a separação eterna de Deus.
Às vezes, a maneira como reagimos às adversidades, pode gerar mais problemas. Por exemplo, atitudes negativas ou queixas são maneiras pecaminosas de reagir às circunstâncias que enfrentamos. Quando reagimos assim, nossos problemas podem derrotar-nos e causar a perda de nossa comunhão com Deus. Se a nossa atitude for correta, ficará mais fácil transformar os nossos problemas em vitórias e o resultado será o nosso crescimento espiritual.
Contudo, a maravilhosa verdade é que Deus continua nos amando, mesmo quando pecamos. Quando confessarmos os nossos pecados e, arrependidos, pedirmos a Sua ajuda, Ele nos auxiliará a encontrar a solução para todos os nossos problemas.
Viva Jesus!
Deus lhe abençoe!
publicado por homota às 17:47
Quarta-feira, 23 / 04 / 08

Lidando com os problemas sexuais – A mente renovada.


Problemas de ordem sexual podem ser muito delicados e desagradáveis. Contudo, se formos obedientes à Palavra de Deus veremos que as soluções que ela aponta são suficientes para lidarmos com qualquer problema. Por isso é fundamental que conheçamos os princípios bíblicos que se aplicam a cada caso. Coloque esses princípios em prática em sua própria vida, para que você possa “ser transformado pela renovação de sua mente” (Romanos 12.2) através das instruções que Ele deu para que você seja capaz de fugir da tentação e honrar a Deus como templo do Seu Santo Espírito.
Quando a pessoa alimenta pensamentos sexuais ilícitos e se deixa levar por “fantasias” sexuais, os pensamentos se transformam em luxúria, e luxúria é pecado. O cristão não deve se surpreender se for tentado – até Jesus foi tentado (Hebreus 4.15) – mas a Bíblia transmite uma mensagem de esperança. Ela mostra que é possível não ficar alimentando pensamentos pecaminosos e não ceder a tentações de qualquer espécie (1 Coríntios 10.13).
Não importa o julgamento das pessoas ou as terríveis conseqüências de seu pecado – sempre há perdão na pessoa de Cristo. Ele não apenas perdoará os seus pecados como também o ajudará a começar uma vida nova!
A pessoa que cometeu um pecado sexual e o confessou a Deus, pode estar certa de que Deus o perdoou, de que Ele renovará a sua mente se ela se render à Sua vontade. A confissão do pecado e o arrependimento se transformou em confissão do amor de Deus que se manifesta tanto maior quanto grande for o pecado (Romanos 5.20). Não estará mais sob a condenação do pecado porque foi liberta dele! Vejamos o que a Bíblia diz sobre isso:
“Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Porque a lei do Espírito da vida em Cristo Jesus te livrou da lei do pecado e da morte. (...) Porque os que se inclinam para a carne, cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito para a vida e a paz” (Romanos 8.1,2,5,6).
Viva Jesus!
Deus lhe abençoe
!
publicado por homota às 16:46
Sexta-feira, 18 / 04 / 08

Diferenças Espirituais no Casamento.


A Família é um projeto de Deus desde os primórdios da criação. Tanto a ordem no mundo como na igreja dependem da ordem na família. Deus deu regras especificas em relação às responsabilidades de maridos, de esposas e de filhos. Quando essas regras são obedecidas, a unidade familiar se fortalece e cada membro da família se sente realizado e feliz. Quando qualquer uma delas é desobedecida, a família se desestabiliza, podendo até ser destruída.
Em muitos lugares do mundo as famílias encontram-se bastante desestruturadas. Em alguns países mais de cinqüenta por cento dos casamentos terminam em divórcio. Vejamos alguns problemas que rompem a unidade familiar e o que a Bíblia nos ensina sobre eles?
Em alguns casamentos os problemas surgem pelo fato de um dos cônjuges ser crente e o outro não. Muitas vezes as pessoas se casam com um incrédulo, achando que após se casarem serão capazes de ganhá-lo para o Senhor. Uma outra situação ocorre, quando após o casamento um dos cônjuges se converte e outro não. Os problemas que surgem de tal circunstância são enormes: o cônjuge crente passa a se interessar pelas coisas de Deus, quer freqüentar a igreja e desenvolver a maturidade cristã, enquanto o outro permanece atraído e envolvido pelos prazeres mundanos. Não há consenso quanto a criação dos filhos e a possibilidade desses aceitarem à Cristo como seu Salvador são muito menores, dado o exemplo anti-bíblico que recebem do pai ou da mãe incrédulo. Às vezes o crente, levado pelo cônjuge que ainda não aceitou a Jesus, pode até mesmo vir a se desviar de sua fé em Deus e cair em pecado. A Bíblia nos ensina que o casamento do crente com o não crente é proibido de acordo com 2 Coríntios 6.14-18:
“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos, porquanto, que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão da luz com as trevas? Que comunhão entre Cristo e o maligno? Ou que união do crente com o incrédulo? Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuários do Deus vivente”.
Portanto essa é a regra mais certa: não pode haver comunhão entre o certo e o errado, a luz e as trevas, Cristo e o maligno. Não há nada em comum entre o crente e o não crente. O jovem que deseja se casar e esteja disposto a ignorar esse importante ensinamento bíblico, está abrindo a porta para uma vida de sofrimento e de problemas. O modo como Deus opera é, de fato, o melhor e Ele suprirá todas as nossas necessidades se O obedecermos.
Para o crente que é casado com uma incrédula, possivelmente porque se casou antes de se converter, o apóstolo Paulo deixou alguns ensinamentos em 1 Coríntios 7.12-16. Leia essa passagem e descubra que ele aconselha o crente a permanecer casado enquanto houver consentimento do outro com o casamento. O crente não deve nunca abandonar o seu cônjuge. Deus é poderoso para suprir o amor e a graça necessários. E o outro cônjuge poderá se converter um dia. “Mas se o descrente quiser apartar-se, que se aparte; em tais casos não fica sujeito à servidão nem o irmão nem a irmã; Deus vos tem chamado à paz” (1 Coríntios 7.15)
Os problemas espirituais enfrentados em casa só podem ser resolvidos satisfatoriamente através da obediência aos princípios bíblicos.
Viva Jesus!
Deus lhe abençoe!
publicado por homota às 15:58
Quarta-feira, 02 / 04 / 08

Problemas entre os casais.


Existem problemas, aparentemente pequenos, que ocorrem na vida de um casal que podem trazer tristeza e discórdia em uma família:
Falta de confiança e respeito mútuo. Existem maridos que parecem ter prazer em humilhar sua esposa na presença de outras pessoas. Por outro lado há mulheres que aproveitam todas as oportunidades que tem para depreciar o seu marido, discordando dele ou corrigindo tudo o que ele diz, na frente dos outros. Talvez estejam agindo assim para descontar no outro alguma lacuna no comportamento. Essa lacuna pode ser: omissão de amor, de submissão; entretanto, essa certamente não é a maneira como o crente deve lidar com seus problemas de relacionamento. O padrão bíblico designa que o marido ame a sua esposa como Cristo ama a Igreja (Efésios 5.25,28) e que a esposa honre e respeite seu marido (Efésios 5.33).
“Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela ... Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a Igreja ... Não obstante, vós, cada um de per si também ame a própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite ao marido” (Efésios 5.25,28,29,33)
Nenhum dos dois deve dar motivos para que o outro sinta ciúme. O casal cristão que enfrenta esse problema deve discuti-lo junto e abertamente e ambos devem concordar em evitar situações que propiciem esse tipo de sentimento. A pessoa que está sempre enciumada, sem que haja um motivo justo, deve pedir ao Senhor que a ajude a vencer esse sentimento e a desenvolver confiança em seu cônjuge. O ciúme ocorre quando falta: respeito, submissão, compromisso ou confiança.
Falta de comunicação. Existem maridos que quase não conversam com suas esposas. Essa é uma reclamação comum às mulheres que muito provavelmente passam o dia cuidando dos filhos pequenos e quando chega a noite, estão desejosas de conversar com o marido. Para que um casamento seja bom é preciso haver boa comunicação. O marido e a esposa devem dividir um com o outro, mais do que com qualquer outra pessoa, tanto suas alegrias, tristezas, esperanças e sonhos, quanto os probleminhas do dia a dia.
Excesso de compromissos. Esse, parece ser o problema número 1 de muitos lares cristãos, inclusive de pastores e de outras pessoas que trabalham em tempo integral no ministério. É fácil envolver-se em muitas atividades fora de nossa casa e quase não sobrar tempo para a vida familiar. O lar se torna um lugar apenas para comer, tomar banho e dormir. Muitas famílias são negligenciadas enquanto o pai trabalha para ganhar o dinheiro, ou fica ocupado ministrando às necessidades espirituais dos outros. Ele dá o melhor de si em seu trabalho, mas muito pouco ou até mesmo nada para sua esposa e filhos. Deus espera que utilizemos a inteligência que Ele nos deu para estabelecer corretamente nossas prioridades. Se é papel do marido assumir a liderança espiritual do seu lar, então ele precisa passar tempo em comunhão com sua família ensinando-a.
Em 1 Timóteo 3.1-12 Paulo nos dá a entender que há necessidade dos pastores darem darem mais prioridades às suas famílias
publicado por homota às 16:22
Este blog é feito para divulgar a Palavra de Deus, e as doutrinas e fatos da história da Igreja Cristã.

mais sobre mim

Abril 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
24
25
26
27
28
30

últ. recentes

  • Amei essa palavra.
  • A paz do Senhor, sobre o ponto 4, através dos estu...
  • esqueceram da ultima aliança através do profeta Mo...
  • Rapaz tua mente esta cauterizada, você esta fudido...
  • Texto maravilhoso me emocionei muitoObrigado a que...
  • Olá boa noite a paz de Cristo !! Gostaria de saber...
  • Jesus nosso salvador
  • O que vc falou é a pura verdade gostei.ainda tem...
  • Gostaria que tivesse a opção partilhar no whatsap!
  • Minha Mãe muito amada hoje está junto ao Senhor.De...

tags

todas as tags

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro