Continuação do post anterior.
Os profetas duraram até João Batista. Depois dos profetas veio o Filho de Deus. O meio mais extraordinário da revelação especial foi a encarnação do Verbo divino (Veja em João 1.1-3,14,18: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dEle, e, sem Ele, nada do que foi feito se fez. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai. Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou.” - RA; em João 14.8,9: “Replicou-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?” - RA; em Colossenses 2.9: “porquanto, nEle, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade.” - RA; e em Hebreus 1.2: “nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo.” - RA).
Ele revelou mais profundamente o Pai e seus propósitos para com a humanidade (Veja em João 1.16-18: “E todos nós recebemos também da sua plenitude, com graça sobre graça. Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer.” - RC; e em Hebreus 10.20: “pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne,” - RA).
Em Jesus a revelação teve o seu clímax. Por meio de Jesus os apóstolos receberam os mais excelentes conhecimentos da verdade redentora de Deus e no-las tranmitiram. As Escrituras, à medida em que nelas foram sendo registradas os conhecimentos já adquiridos de Deus, serviam, por sua vez, de meio de revelação para as novas gerações, como acontece até o dia de hoje (Veja em Deuteronômio 29.29: “—Há coisas que não sabemos, e elas pertencem ao SENHOR, nosso Deus; mas o que ele revelou, isto é, a sua Lei, é para nós e para os nossos descendentes, para sempre. Ele fez isso a fim de que obedecêssemos a todas as suas leis.” - NTLH; em Isaías 8.19,20: “—Algumas pessoas vão pedir que vocês consultem os adivinhos e os médiuns, que cochicham e falam baixinho. Essas pessoas dirão: “Precisamos receber mensagens dos espíritos, precisamos consultar os mortos em favor dos vivos!” Mas vocês respondam assim: “O que devemos fazer é consultar a lei e os ensinamentos de Deus. O que os médiuns dizem não tem nenhum valor.”” - NTLH; e em 2 Timóteo 3.16,17: “Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. E isso para que o servo de Deus esteja completamente preparado e pronto para fazer todo tipo de boas ações.” - NTLH).
Nós hoje podemos não ouvir os profetas, nem o Filho de Deus diretamente, mas ouvimo-lo indiretamente através das Escrituras. Por meio delas Deus fala a nós hoje como outrora falou através dos profetas, do Filho e dos apóstolos.
Viva Jesus!
Deus lhe abençoe!
publicado por homota às 15:44