Problemas Financeiros. Esse é um problema que costuma afetar muita gente. Não somente os casais, mas também solteiros, viúvos, etc. Tem sido motivo de muitos desentendimentos na família. O marido e a esposa devem, juntos, estabelecer um orçamento familiar que priorize a parte que cabe a Deus, que cubra as suas despesas essenciais e que evite que fiquem cheios de dívidas, difíceis de serem quitadas no futuro. As despesas essenciais devem ser relacionadas e estabelecida uma prioridade para possíveis cortes eliminando os supérfluos, quando os recursos financeiros não forem suficientes para todos. O princípio estabelecido pela Bíblia e adotado pelos evangélicos, é o de entregar em primeiro lugar e fielmente os dízimos da renda familiar, conforme o ensinamento abaixo:
“Tragam todos os dízimos aos depósitos do templo, para haver alimento suficiente em minha casa. Se vocês fizerem isso, abrirei as janelas do céu e derramarei uma bênção tão grande que não terão lugar onde guardá-la. Experimentem! Dêem-me uma oportunidade de provar que isso é verdade! Suas colheitas serão formidáveis porque Eu as protegerei dos bichos e das pragas. As uvas não murcharão antes de amadurecer, diz o Senhor do Universo. Todas as nações dirão que vocês são abençoados porque a sua terra vibrará de alegria. Essas são as promessas do Senhor do Universo” (Malaquias 3.8-12 - Bíblia Viva). E Jesus falando aos fariseus, confirma: “ ... dão o dízimo até da última folha de hortelã da sua plantação, mas se esquecem das coisas importantes – a justiça, a misericórdia e a fé. Sim, vocês devem dar o dízimo, mas não devem deixar de fazer as coisas mais importantes.(Mateus 23.23 – Bíblia Viva).
Em verdade, os dízimos e as ofertas são usados para que os templos possam funcionar com um mínimo de conforto para os seus usuários; para pagar as contas de luz, gás, manutenção, limpeza, etc.; para ajudar a fazer a obra de Deus e para servir de canal de bênçãos para quem contribui. Se deixarmos de contribuir, os templos podem fechar e nós ficaremos sem essas bênçãos prometidas.
Muitas famílias enfrentam desnecessariamente problemas financeiros, doenças e gastos não programados porque não confiam e não dão com alegria ao Senhor a parte de sua renda que Lhe é devida. Por mais que demos não poderemos ser mais generosos que o Senhor pois Ele prometeu suprir nossas necessidades se nós Lhe formos fiéis: “Porque se vocês derem, receberão! Suas dádivas voltarão a vocês em medida cheia, e transbordante, apertada, sacudida, para dar lugar a mais um pouco, até derramar. A medida que vocês usarem para dar – grande ou pequena – será usada para medir o que lhes derem de volta” (Lucas 6.38 – Bíblia Viva).
O apóstolo Paulo mencionou ter aprendido a estar contente, quer na fartura, ou na escassez: “... porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4.11-13). Por isso, não se constranja, se tiver que restringir os seus gastos para equilibrar o seu orçamento.
Indisciplina dos filhos menores. Quando o pai e a mãe trabalham fora, é comum que não sejam tão enérgicos para encarar a responsabilidade de ensinar e disciplinar os seus filhos. Normalmente eles esperam que a igreja e a escola cumpram essa função que na verdade foi dada a eles por Deus. Educar uma criança não é uma tarefa simples. Não há como fazê-lo, simplesmente lhe dizendo como ela deve viver. É preciso acompanhá-la de perto, corrigir cada erro, mostrar-lhe o que é certo e o que é errado e ensinar-lhe a Palavra de Deus. Não esqueça que os pais são modelos para os filhos, que procuram sempre imitá-los. É preciso dar o exemplo de conduta e comportamento. É um processo que dura até que eles atinjam a maturidade para sair de casa e assumir as responsabilidades de um adulto.
Viva Jesus!
Deus lhe abençoe!

publicado por homota às 12:37