As três áreas do domínio próprio que nos ajudarão a evitar problemas ou resolver os já existentes são: nossos pensamentos, a nossa língua e o nosso comportamento. Os pensamentos são a raiz das palavras proferidas e dos atos exteriorizados. Jesus ensinou que o assassinato se origina em pensamentos de ira. De forma semelhante o adultério começa a partir de pensamentos impuros (Mateus 5.21-30). Você possui controle direto sobre os seus pensamentos. Pode se recusar a ficar ruminando pensamentos que poderão gerar problemas. Siga o que a Bíblia ensina em Filipenses 4.8: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento”.

Uma boa forma de encher sua mente de pensamentos bons é através de uma boa leitura ou de assistir programas de rádio e televisão educativos ou que edifiquem. O crente deve ter muito critério na seleção de livros, jornais, revistas, programas de rádio, de televisão e outras formas de entretenimento para que possa exercer maior controle sobre seus pensamentos.

Controlar a língua talvez seja a tarefa mais difícil. O Apóstolo Tiago é quem nos ensina em Tiago 3.2: “Se alguém não tropeça no falar é perfeito varão, capaz de refrear também todo o corpo”. Leia também os versículos de 3 a 12 desse mesmo capítulo. Eles enfatizam como a língua pode funcionar como arma mortífera. Se deixarmos de controlá-la, ela poderá causar muitos problemas. Leia também: Provérbios 6.16,19; 16.28; 18.8.

Quando aprendermos a controlar os nossos pensamentos e a nossa língua, seremos capazes de controlar o nosso comportamento. Entretanto para fazer qualquer uma dessas coisas precisaremos de oração e da ajuda do Espírito Santo, pois a nossa natureza pecaminosa nos induzirá a fazer o que é errado. O Apóstolo Paulo reconheceu essa questão e a discutiu em Romanos 7.18,19 e 24,25: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço ... Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo dessa morte? Graça a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor”.

Viva Jesus!
Deus lhe abençoe!
publicado por homota às 20:51